Quinta-feira 07 Junho 2012

Ten


Foi, sem dúvida, o Nevermind dos Nirvana que provocou a explosão do grunge, mas o Ten foi insubstituível na tarefa de o manter entre nós. Falamos do álbum de estreia dos norte-americanos Pearl Jam, redentores da maior parte da essência do género musical. Aliada ao punk, ao som cru, aos efeitos de feedback e às texturas “sujas” das guitarras, a voz de Eddie não podia encaixar melhor na harmonia dissonante e no afável ambiente da música que criam.
Once é a primeira faixa do álbum, de se ouvir num ambiente escuro e sombrio, com sons de protesto (como a Porch) que nos guiam para influências do rock clássico dos anos 70 de bandas como Led Zeppelin ou o apelo à raiva do post-punk dos anos 80.
Even Flow enche-se de instrumentalização e de riffs de grunge e o groove do refrão de quem a ouve pela primeira vez fica no ouvido.
Alive funciona como um hino para todos os fãs de Pearl Jam, onde podemos encontrar a força do blues e a genialidade dos riffs do mestre Hendrix. Black foi das primeiras músicas que ouvi. Um marco na musicalidade, com uma vocalização surpreendentemente viciante, forte e magnifica. Uma canção de guerra. Uma história de sofrimento e de vitória, tal como Why Go.
Jeremy é mais um clássico. Uma montanha de conforto no limbo da música. São, de facto, músicas que foram feitas para serem tocadas em arenas e em estádios, perante multidões. Músicas que não deviam ser banalizadas pela indústria envolvente. Músicas que permanecem na história e que nunca vão ser esquecidas.
Oceans é mais uma prova disso. Variando entre a melodiosa subtileza das histórias que as suas letras nos contam e o poder frenético da voz de Eddie, perante uma diferente balada de amor.
Release é a última de um álbum que merece todo o mérito do mundo do grunge e do rock. Onze faixas de história, de um grupo comoventemente diferente que veio para ficar, deixando-nos de joelhos perante uma junção de várias influências que fizeram com que o Ten fosse dos melhores álbuns de grunge de sempre. O poder, a genialidade, a diferença, a garra e a paixão da banda desdobraram-se em algo especial que deve ser ouvido por todos os amantes de música. Do inicio ao fim, sem saltos ou preconceitos.