Quarta-feira 21 Dezembro 2011

Paranoid


Os Black Sabbath são considerados os reis do heavy metal, ao lado de Led Zeppelin e Deep Purple. Do Reino Unido para o mundo, brindam-nos com um álbum especialmente particular – Paranoid. É por algum motivo que muitas das bandas de heavy metal de hoje em dia têm a linhagem e o sentimento destes pioneiros.
Desde Iron Man a Paranoid, passando por War Pigs e Hand of Doom, a Rat Salad e Planet Caravan, podemos observar a particularidade sonante dos riffs electrizantes das guitarras de Iommi, da poderosa voz do pai deste género musical – Ozzy Osbourne – das batidas poderosas de Bill Ward e das linhas de baixo sonantes de Butler. Este é o quarteto inicial da formação da banda, datada de 1968.
Os Black Sabbath definiram um género e este álbum definiu os Black Sabbath. Lançado em Setembro de 1970, é o segundo álbum de estúdio da banda Inglesa. Desde a revolução do couro e da crise que pairava sobre Inglaterra nos anos 70, surgiu então o auge da revolução musical – uma junção de celeridade, gritos e dor. Nasceu do medo das pessoas, do sentimento de Ozzy e da paixão dos restantes elementos da banda, independentemente do seu primeiro álbum não ter vendido por aí além. No entanto, não desistiram e apostaram em Paranoid, um sucesso e um marco na existência do heavy metal, na linha geral do mundo da música.
Sirenes e chamas, do caos à guerra e à idiotice das pessoas, de separações e depressões, o escuro, o jazz e o soul, o blues, o som nu, a fúria e o medo, uma espécie de um filme da época retratado num CD. Uma manifestação da realidade crua que se vivia na altura.