Quarta-feira 21 Março 2012

The Greatest


Chan Marshall, mais conhecida por Cat Power, tem o dom de acalmar todos aqueles que ouvem as suas músicas. Não só pela sua doce e melancólica voz, mas também pela magia que se sente quando chega perto de um piano ou de uma guitarra.
The Greatest é, como o nome indica, um álbum excelente, talvez o melhor da sua carreira, com suavidades já conhecidas entre todos como Lived in Bars ou Where is my Love, passando pela harmonia do piano na Living Proof ou pela eloquência das notas em Love and Comunication.
A fusão do indie de The Greatest, o folk de Islands, o rock súbtil de The Moon e o blues de Hate, remetem-nos a um arranjo perfeito de cordas, de violinos e saxofones, de trompetes e batidas suaves, de sons celestes de órgãos e de pianos, aliados à letrista fabulosa que nunca perdeu a sua habilidade para a escrita de músicas de amores e desamores, de alegrias e tristezas, de sanidades e loucuras.
De slows, estalar de dedos, mãos de jazz e melodias de cabaret, assim se faz este álbum, onde revemos Cat Power com a sua velha guitarra, consumada, juntando riffs como quem junta peças de um puzzle. Não é um álbum para ser comercial, nem para agradar gregos e troianos. É um álbum polido e acessível que demonstra que Marshall levou os seus limites muito além do mundo indie rock.